domingo, 5 de março de 2017

[TEXTO] Sobre não saber

Hoje eu decidi escrever porque o céu está tão lindo e porque as estrelas me fizeram perceber que pequenas luzes são sempre grandes coisas. Fazia tempo que eu não parava pra olhar pro céu.
É mais cômodo escrever sobre incertezas, infelicidade, mágoa e afins, porque a alegria é um sentimento tão raro na minha vida que eu muitas vezes não sei lidar, ou expressar e muito menos dizer.
É foda lidar com a vida, com as confusões que ela nos coloca, porque às vezes um tropeço pode ser sua salvação. Eu me pego pensando algumas vezes em como um atraso pra sair de casa pode ter me livrado de ter sido atropelada, por exemplo, é bobo eu sei, mas não é louco como você nunca tem certeza de nada até que aconteça?
O fato é que eu sempre ando com um guarda-chuva aberto esperando pela tempestade mesmo que o céu esteja aberto. E toda vez que algo grandioso acontece na minha vida eu fico revivendo todos os passos que fizeram essa coisa toda acontecer, muitas das vezes dando mérito ao destino ou as reviravoltas da vida... É difícil acreditar que coisas boas acontecem comigo porque eu mereço e é difícil acreditar que essas coisas podem permanecer. Porque tudo que eu amei um dia ou foi embora ou me foi tirado, e tudo em que eu acreditava desapareceu como se não tivesse existido - assim como a felicidade, as pessoas, os momentos.
Ás vezes eu acho que me falta um pouco mais de coração, porque foram me levando em pedacinhos. E por mais que a felicidade  me rodeie, tem sempre um pingo de medo do lado dela; isso tudo porque eu sei que no final de tudo o que sobra são despedidas que a gente nunca sabe dizer porque muitas vezes não quer ir.
Mas ainda, apesar de todo o medo, eu me sinto tão leve, tão serena e a felicidade é tão presente que eu até me sinto estrela, guardando grandes coisas dentro de um brilhante sorriso; acreditando que um tropeço na vida pode não ter me livrado de um atropelamento, mas me colocou num sonho que vivo acordada, do qual eu espero não despertar tão cedo.

(Jenifer Alana dos Santos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário