sábado, 19 de novembro de 2016

[TEXTO] Bagagens, caminhada e você

Eu quero que você saiba que eu já andei muito antes de chegar até você, e que durante a caminhada eu ganhei uma bagagem que mesmo que pesada, não faz de mim alguém diferente do que eu era quando comecei a dar meus primeiros passos. Eu ainda gosto daquela música romântica que meu primeiro amor me mandou, ainda gosto daquele rock que me descrevia, mas hoje eu também escuto um pouquinho daquele sertanejo que me faz lembrar você e de um certo funk que marcou a primeira vez que eu dancei celebrando a minha liberdade.
Eu sou um infinito de "também", o que é difícil de assimilar pra algumas pessoas cheias de obsessão por rótulos. Eu sou aquela mulher que desce até o chão as 4h da madrugada na balada e também sou aquela que às 9h pega o ônibus meio morta de manhã. Eu sou doce, meiga, compreensiva e amável mas também sou grossa, estúpida, estressada e entediante. Eu vou fazer você me amar e me odiar por isso.
Eu quero que você saiba dessas coisas porque eu prefiro que você me julgue agora, enquanto ainda não me importo com a sua opinião. Porque eu provavelmente vou te falar coisas que você pode julgar mal mesmo que eu esteja pensando no seu bem. É fácil você amar minha sinceridade agora antes que eu a use com você.
Eu quero que você lembre bem da minha bagagem quando você se aborrecer com as minhas manias, porque mesmo sem te amar eu sei respeitar as suas. Eu quero que você compreenda os caminhos que trilhei e as coisas que vivi pra que a gente suporte caminhar junto. E por enquanto eu espero que a gente viva um dia de cada vez pra saber valorizar cada passo em direção ao arco-íris que enxerguei depois que encontrei você.
(Jenifer Alana dos Santos) @jenyyys

Nenhum comentário:

Postar um comentário